Quem sou eu

Minha foto
Americana, SP, Brazil
Janaina de Cássia Grisante, cantora e violonista, iniciou-se na música aos oito anos de idade estudando violão como autodidata. Com 21 anos começou a se aprofundar em seus estudos estudando: teoria musical, técnicas de violão e técnicas de canto. Em 2006 ingressou no Conservatório Dramático e Musical Dr Carlos Campos de Tatuí onde mantém as atividades curriculares até hoje. Como profissional, se apresenta em vários bares, restaurantes e eventos da região de Campinas com repertório baseado no resgate da MPB, fundado em pesquisas sobre “Época de ouro”, “Choro canção” "Pré Bossa Nova”, “Bossa Nova”, "Canção de protesto”, “A era dos festivais”, “Música regional nordestina”, “Movimento Clube da esquina”, etc. Faz gravações de jingles promocionais e políticos. Fez participação em alguns shows do trio de forró pé de serra “Trio Virgulino”. Como intérprete, defendeu músicas de Sandro Livahck, Tavinho Lima e Diorgem Ramos no circuito de festivais do Brasil, tendo recebido vários prêmios.

24 de mai de 2010

Reportagem publicada pelo Jornal Atual de Americana SP em maio de 2010.

Janaina de Cássia

Personalidade e talento reconhecidos

Mauro Girardi

Não é sempre que encontramos por aí, uma cantora com voz incrível, esbanjando talento e muita personalidade. Estamos falando de Janaina de Cássia, uma cantora completa que canta e encanta. E também compõe.
Como a grande maioria, Janaina começou por acaso, se apresentando com o irmão do padrasto, músico, que veio parar em Americana anos atrás.
Janaina toca violão desde os 8 anos de idade. Aprendeu sozinha e, não tinha pretensão de ser cantora. Algumas “canjas, aqui e ali”, bastaram para o reconhecimento da qualidade vocal e algo diferente em sua interpretação.
Cantando profissionalmente a 7 anos, iniciou sua carreira em bares. Entre eles o Aruá, 2003 Clube do vinil e Caiçara. No começo, se apresentava com músicos conhecidos como o Tim, depois o Sandro, com quem se apresentou durante anos, até encarar de vez voz e violão.
Embora com uma carreira relativamente curta, Janaina de apresentou em muitas cidades e estados. Ela destaca sua participação no Circuito de Festivais, junto com Sandro, durante um ano e meio, em todo o Brasil. Pará, Pernambuco, Alagoas, Minas Gerais, Espírito Santo, Mato Grosso e Rio de Janeiro. No circuito, 5 músicas foram premiadas, sendo a mais destacada “Lendas Brasileiras”, vencedora do Americanta em 2008. Participou também de vários outros festivais de MPB no interior de São Paulo, conquistando muitos prêmios.
Janaina começou a ter aulas de canto aos 21 anos de idade em Tatuí. Hoje faz aula de canto popular, violão e percussão.
POUCO ESPAÇO
Embora já tenha uma carreira consolidada, Janaina reclama a falta de espaço na cidade para a apresentação de músicos e artistas. Com exceção de alguns poucos bares que ainda mantém música ao vivo, Americana não oferece alternativas de divulgação. Ela faz um desabafo: “Com exceção do Estação Vitrine, pouco se tem feito para a MPB” Ela lembra dos projetos interrompidos como o “Arte na Praça”, a escola de música do CCL, entre outros.
Para Janaina, muita gente boa tem que sair da cidade e se apresentar em cidades da região para poder sobreviver. Nesse ponto, Janaina destaca a vizinha Santa Bárbara D’Oeste, que incentiva muito mais os artistas.
Em Americana, Janaina diz que o Rancho do Cupim, do empresário Samuel Pires de Campos, que investe na MPB, abre um espaço importante para o artista local. Janaina destaca também, em Nova Odessa, a casa “ Seu Zezinho” onde ela se apresenta as terças e domingos e uma vez por mês aos sábados.
Em seu Repertório, o samba de Cartola, Noel Rosa, João Nogueira, Chico Buarque, Geraldo Pereira e Paulinho da Viola. Na MPB, músicas de Elis Regina, Djavan, Gilberto Gil, Milton Nascimento, Jackson do Pandeiro e Luiz Gonzaga. “ O bom gosto pelo repertório é fundamental”, acrescenta ela. E o de Janaina é realmente especial.
COMO VIVER DE MÚSICA?
Assim como acontece com a grande maioria dos músicos, para ela também, não é tão simples assim viver de música. Além da falta de incentivo, das poucas casas especializadas, muitas vezes o artista não recebe o valor que merece. É preciso se apresentar praticamente todos os dias pra tentar sobreviver.
Nesse aspecto Janaina, relata que dá aulas de violão e canto, além de se apresentar em alguns bares e casas. Ela completa seu orçamento com shows que realiza para a empresa Nutrin Restaurante, apresentando-se em eventos, convenções e datas comemorativas, além de festas particulares.
Seus projetos futuros incluem alguns circuitos pela região, produção de shows e, talvez. A gravação de um CD, sonho este que já foi mais importante no passado. Aí ela conclui: “ Gravar um CD só por gravar, para satisfazer o ego, não vale a pena. Tenho a consciência do mercado incerto da música. A arte não é valorizada.
Janaina faz questão de ressaltar a importância de alguns artistas de Americana para a sua carreira. Ela cita o Hulkinho, Virgínia Mello, Gustavo Spindola, Heber Pequeno, Sandro, Tim e especialmente o “Trio Virgulino”, que para ela é referência na cidade. E diz: “ Já cantei várias vezes com o Trio Virgulino, a cidade deveria olhar melhor para estes seus filhos diletos”.
Para contratar Janaina de Cássia e conferir seu talento, é só ligar ( 19) 9114-0061

tempo sem tempo

Linda cançao de José Miguel Wisnik
"Tempo sem tempo". Vale a pena conferir.

20 de mai de 2010

Show com Trio Virgulino no projeto "Estação Vitrine" em Americana SP


  • Como intérprete cantei "O Ovo" de Hermeto Pascoal.
  • Como violonista acompanhei, ao lado e Enok (sanfona), a intérprete Virgínia Mello, que cantou "Avesso" de Ceumar.
  • Participação especial com o Grupo Passo Preto que interpretou a música " Maça do rosto" de djavan.

Marcadores